sábado, janeiro 19, 2008

O rei das cenouras interiores




(Neutral Milk Hotel, «The King of Carrot Flowers, Pts. 2 & 3)

Foram dias difíceis, mas, graças a mirabolantes doses de sangue-frio e a um intrincado sistema de superstições (que envolveu peúgas desirmanadas, um babete que me acompanha desde o Colégio São Miguel Arcanjo, e um ícone de Nossa Senhora de Fátima que já não me lembro onde roubei), lá consegui reunir as condições necessárias para voltar a usar este espaço. Espero que os mais cínicos entre vós não venham com argumentos aborrecidamente literais para questionar o inquestionável: o meu mérito pessoal em tudo isto. Parece-me evidente que o Sporting não tem, nesta altura, o plantel necessário para golear um clube que joga apenas três escalões abaixo do seu sem a minha colaboração activa.
Registei também a preocupação (ou "preocupação") do Bruno e a homenagem (no fundo a "homenagem") do Francisco José Viegas, dois adeptos de futebol emocionalmente equilibrados, e cuja ideia de um mau momento desportivo é ganhar títulos com apenas 10 pontos de avanço. Deve ser fácil mostrar jocosidade e munificência quando se anda há tantos anos a fazer safaris nas crises espirituais de terceiros. Mas não guardo rancores; e aprendi valiosas lições esta semana, algo que, de resto, vou demonstrar já no parágrafo seguinte.
Se o Sporting não ganhar ao Porto comprometo-me a ler na íntegra aquele livro do José Rodrigues dos Santos sobre filatelia, e a postar aqui um exaustivo relatório no prazo máximo de sete dias úteis após o apito final. Eu sou assim, miúdas, vivo no limite.

9 comentários:

Anónimo disse...

pois, pois..., então agora põe o Sporting ao barulho para ir chafurdar na cena do leite e afins lá do JRS?
hummm, desculpa esfarrapada!

mas as miúdas agradecem.
ps: depois não se esqueça do nosso resumo, sem omissões claro está.

cj disse...

confessa que já o leste e tens a crónica pronta.

Anónimo disse...

O José Rodrigues dos Santos vai ter o seu Codex 632 adaptado ao cinema em Hollywood. Só o Saramago teve a mesma honra.
E também lhe digo que para blog sobre futebol este tem muita coisa que não interessa nada.
Já leu o livro da Fátima Lopes?

Miúda disse...

E as miúdas gostam!

Luis Gaspar disse...

Colégio S. Miguel Arcanjo?? Não pode. Em que anos? Que grande instituição, meu deus, que grande instituição.

R. Casanova disse...

Andei lá no ano 1984/85. Foi graças à Irmã Benvinda que perdi o hábito de comer sabão azul e branco. Devo-lhe muito.

Luis Gaspar disse...

Eu entrei no ano seguinte. Não fiquei com a Benvinda, fiquei com a Irmã Olívia. Com ela aprendi os fundamentos do método democrático em portugal. Por alturas da primeira comunhão, não nos perguntaram se queríamos fazê-la. Se estavamos lá inscritos no Colégio, e se o Cólégio era Católico, claro que era porque queríamos fazê-la. E se somos Europeus é porque somos a favor do Tratado Europeu. Claro.

Patacurta disse...

Deixemos-nos de formalidades, espero que o livro dos selos seja bem relatado no próximo post.
E o limite ... nunca se diz isso!

LB disse...

"munificência "... O_o