sábado, fevereiro 23, 2008

A ONU, obviamente, não faz nada

Fui na semana passada informado de que foi cometida uma versão francesa do The Office. Uma breve pesquisa no YouTube (com o auxílio de um dicionário de bolso da Larousse) confirmou a gravidade da situação:




O único comentário a este clip é de um comovido cidadão britânico (provavelmente sem o auxílio de um dicionário de bolso da Larousse): «C'est merde. Desole france.»

(Como se isto não fosse suficiente, fiquei a saber que existe também uma versão alemã, cujo protagonista tem o nome de um antigo avançado do Benfica. Limito-me a apresentar estes factos; caberá à comunidade internacional debatê-los em sede própria.)

4 comentários:

Salustio disse...

A coisa vai-se banalizando de tal forma que não tardará uma versão portuguesa.

Anónimo disse...

também há uma versão americana bastante criminosa.

Salustio disse...

Não terá comparação possível.

R. Casanova disse...

A versão americana, apesar das naturais objecções dos puristas, não me pareceu má de todo. E melhorou significativamente a partir da segunda série, quando se começou a descolar do material original.
E uma versão portuguesa - com o talentoso Nilton, por exemplo, no papel principal - seria um saudável acrescento ao cânone.